Palhaço ou ato de sobrevivência

O espetáculo conta a história de um palhaço que encontra o seu maior medo! Os palhaços gostam do fracasso e das ações ineficazes, são perdedores alegres e isto é a verdadeira força que têm e nunca se cansam de perder. Desfrutam cada fracasso e voltam a fracassar, diluindo assim as certezas das pessoas sérias que nunca duvidam. Assim o sangue que parece ter em sua cabeça, sobre sua camisa, que tem em seu coração, que está em todo o seu ser é tão patético e inútil em seu simbolismo, simplesmente pelo fato de ser sangue de um palhaço. Esse sangue não é resultado de uma grande luta ou em nome de uma causa heroica, é um sangue de brincadeira, ao mesmo tempo verdadeiro e pouco importante.O Palhaço é a quebra de paradigmas, do homem que acorda às 6h da manhã para ir à obra, mais uma construção, ouve sua música no celular e acredita que se um tijolo cair do décimo terceiro andar em sua cabeça, será engraçado, pois a tragédia não é mais um padrão de acontecimentos tristes e trágicos, mas a desfragmentação de uma vida inóspita e a abertura de um sorriso sem os dois dentes da frente.

Ficha Técnica

Gênero: Umaspira
Direção do Espetáculo: Mauro Zanatta
Direção dos Risologistas: Alfredo Cruz
Concepção Artística: Jhonatan Mazzo e Marcelo Kutianski
Produtor Executivo: Alan Cesar
Atores: Jhonatan Mazzo e Tayssa Mazzeto

Faixa Etária - Livre

SUBIR AO TOPO